GUIA DE TOMAR

O QUE VISITAR

Tire o melhor partido da sua estadia em Tomar.

TOMAR: CIDADE TEMPLÁRIA

A cidade portuguesa de Tomar oferece ao visitante um pouco mais do que os tradicionais castelos e obras históricas portuguesas. Visitar Tomar é ter uma verdadeira “experiência templária”, já que foi aqui que se estabeleceu o “quartel-general” da poderosa Ordem de Cristo dos Cavaleiros Templários. Conheça a nossa sugestão de roteiro com os principais pontos turísticos:

Convento de Cristo

O Convento de Cristo diz respeito ao conjunto de edificações históricas que inclui o Castelo Medieval e a Charola Templária, os claustros quatrocentistas, a igreja manuelina e o convento renascentista e é um dos monumentos mais importantes do país, tendo sido elevado a Património Mundial da UNESCO em 1983.

Erigido pelo Mestre Templário D. Gualdim Pais, muitas das grandes viagens dos portugueses pelo mundo terão sido planeadas por D. Henrique “O Navegador” a partir de Tomar, precisamente a partir do Convento de Cristo, do qual foi Governador e Administrador.

Igreja de São João Batista

Obra manuelina no coração da cidade, com uma fachada e entrada características, renovadas por diversas vezes até à atualidade. Situa-se em plena Praça da República, onde o visitante encontra também vários cafés e restaurantes com excelente gastronomia nacional e internacional.

Igreja de Santa Maria dos Olivais

A Igreja de Santa Maria dos Olivais é uma obra do século XII que foi o ponto de convergência de grandes mestres da Ordem de Cristo A Igreja de Santa Maria dos Olivais é uma obra do século XII que foi o ponto de convergência de grandes mestres da Ordem de Cristo.

Castelo de Tomar

A cidade de Tomar foi fundada pelo Mestre Templário D. Gualdim Pais, no dia 01 de março de 1160, data que assinala a colocação da primeira pedra do Castelo. O Castelo de Tomar é um exemplo claro de como se defendiam os poderosos templários, que naquela altura estavam no seu auge militar. Seguindo a tradição, o Castelo possuía um resistente muro externo que cercava a cidadela interior. As torres centrais, à época, eram a sede administrativa, bem como a residência dos mais importantes cavaleiros da região.

Santuário de Fátima

O Santuário de Nossa Senhora do Rosário de Fátima dá expressão ao pedido de Nossa Senhora do Rosário, aludido já em 13 de agosto de 1917 e expressamente indicado na aparição de 13 de outubro desse ano a Lúcia de Jesus, Francisco Marto e Jacinta Marto. A capelinha foi erguida em 1919 no local das aparições de 1917 na Cova da Iria e, desde então, o espaço do Santuário foi sendo edificado, em resposta ao significativo afluxo de peregrinos.

O Santuário de Fátima é local de peregrinação, que faz memória do seu acontecimento fundante, as aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos. O acolhimento pastoral dos peregrinos é elemento primordial da sua missão.

O Santuário de Fátima é, por vontade expressa da Sé Apostólica, um Santuário Nacional. Está situado a 130 km de Lisboa, a 200 km do Porto e 85 km de Coimbra.

Albufeira Castelo de Bode

Situada em Tomar, a barragem banha diversas terras outrora controladas pela Ordem dos Templários e que mantêm uma aura de mistério que fascina todos os que as visitam. A mais conhecida será Dornes, na mítica península que lhe empresta o nome. A presença da Ordem dos Templários é bem visível na torre sineira pentagonal de Dornes, que sobrevive quase intacta até aos dias de hoje.

Aqueduto das Águas Livres

O Aqueduto das Águas Livres é uma importante obra de engenharia do séc. XVIII que abastecia de água a grande cidade de Lisboa.

Tem o seu troço mais imponente sobre o Vale de Alcântara, mas na totalidade é constituído por 14 km de extensão desde a nascente principal, em Caneças, até à Mãe d’Água das Amoreiras. Juntamente com outros aquedutos secundários de distribuição, formava uma rede de abastecimento à cidade com 59 km.

Construído durante o reinado de D. João V., este troço do Aqueduto das Águas Livres do Vale de Alcântara é constituído por 35 arcos, nos quais se destaca o maior arco ogival em pedra do mundo, com 65 metros de altura e 32 metros de largura.

O Aqueduto foi completamente desativado em 1973 e aberto ao público em 1986. Atualmente, o Museu da Água, a que pertence, programa visitas no seu interior.

Está situado a 141 km de Tomar.

A1 Lisboa/Porto – saída Abrantes / Castelo Branco / Torres Novas.

Sinagoga

A Sinagoga de Tomar é o único templo hebraico proto-renascença existente no nosso país.

Foi construída no Séc. XV quando a comunidade judia começou a chegar e se instalou na cidade dando origem ao bairro que seria conhecido como Judearia. A Sinagoga foi encerrada em 1496, aquando da expulsão dos Judeus de Portugal, tendo sido posteriormente convertida em prisão. No Séc. XVII é referenciada como Ermida de S. Bartolomeu; no Séc. XIX foi palheiro, celeiro, armazém de mercearias e arrecadação.